Traduzir

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Envelhecimento

Inevitável! É a primeira palavra que me vem à mente quando penso em envelhecimento.

A partir de uma certa idade, a nossa estrutura vai perdendo capacidades, os nossos ossos enfraquecem e podem também deformar, a cartilagem escasseia, os ligamentos perdem resistência, uns músculos ficam débeis e outros ficam demasiado tensos, a elasticidade diminui, e a agilidade decresce (não acontece por esta ordem). A força que antes tínhamos já não é a mesma, assim como os movimentos que fazíamos outrora com tanta facilidade, agora já nos custam. Em consequência, as dores aparecem e agravam-se.

Contudo, apesar de inevitável, o envelhecimento pode ser experienciado de formas diferentes. Sim, é verdade que será sempre dramático, mas há muita coisa que pode ser feita... Não só para o retardar, como até para o atenuar.

Sabemos que as pessoas não envelhecem todas à mesma idade, umas envelhecem mais cedo do que outras. Também não se envelhece sempre há mesma velocidade. Porque isso acontecerá?

Existem três variáveis que definem o envelhecimento, são elas:
  • Genética;
  • Emoções;
  • Manutenção corporal.

Referente à genética, tanto quanto sei, nada se pode fazer.
No que respeita às emoções, muito pode ser feito, mas é um trabalho ao qual eu não tenho parte.
Vamos centrar-nos na manutenção corporal.

Primeiro que tudo a manutenção corporal passa por uma alimentação adequada, que aporte os nutrientes necessários ao correto funcionamento do nosso organismo. Pois quando há um défice nos nutrientes que o nosso organismo necessita, os sistemas começam a entrar em falência, e as estruturas começam a sofrer degeneração. É importante sabermos qual é a alimentação adequada a cada um de nós, para isso recomendo uma consulta personalizada com um bom especialista nessa área.

Mesmo havendo uma alimentação adequada, não é suficiente para fazemos uma correta manutenção ao nosso corpo. Precisamos também cuidar a nossa estrutura.

O ideal para preservarmos a nossa estrutura, era nunca estarmos em posições prejudiciais, nem fazermos movimentos repetitivos. Mas obviamente isso não é possível, dado as nossas ocupações e empregos, muitas vezes passamos longas horas em posições que não são corretas, assim como levamos anos a fio a realizar os mesmos movimentos. 

Tudo isso acaba por ter impacto, a longo prazo, na estrutura. Com o passar do tempo os músculos vão ficando contraídos, e vão-se tornando débeis. Dada a debilidade e contração muscular, as vértebras ao longo da coluna podem-se deslocar da sua posição. O que pode originar obstruções na circulação sanguínea. Ao haver obstruções na circulação do sangue, este já não chega corretamente a todas as partes do corpo, e onde o sangue não chega, não chegam também os nutrientes essenciais à preservação do nosso corpo. 

É fácil comprovarmos esta ideia, se pensarmos que um dos locais onde, mais frequentemente, se forma artrose (degeneração) são as extremidades do nosso corpo, nomeadamente os dedos das mãos, é também o local no qual, quando existem distúrbios na circulação sanguínea, o sangue começa a circular ineficientemente.



Convém compreendermos que não pode haver obstáculos à circulação do sangue no nosso corpo, e muitas das vezes esses obstáculos advêm da própria estrutura, quer por culpa das vértebras, ou de qualquer outro osso que possa não estar na posição correta, assim como por culpa da contração muscular, ou até mesmo do próprio tecido Conjuntivo.

É necessário contrariar todo o tempo em que estamos a prejudicar a nossa estrutura - remover a contração que se vai formando nos músculos, assim como corrigir bloqueios articulares que já possam estar instalados. Isso é feito com a colaboração de um osteopata, que definirá um programa regular de exercícios, tendo em conta a nossa estrutura e as nossas habituais posturas.

Se levarmos em conta realizar uma correta manutenção ao nosso corpo, com certeza, não só o envelhecimento será retardado, como até mesmo atenuado.

Sem comentários:

Enviar um comentário