Traduzir

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Tecido Conjuntivo

Este é um tema assíduo nos sites dedicados à Medicina Manual, o que só por si já demonstra a sua importância.

O tecido Conjuntivo é apelidado de diversos nomes e subdividido em vários tipos e camadas, de acordo com diferentes autores e especialistas, sendo comum usar-se o nome Fáscia (a palavra Fáscia também pode ser usada com outra designação) ou tecido Conetivo para se referir ao mesmo tipo de tecido. Usarei apenas o termo tecido Conjuntivo referindo-me a esse tecido como um todo.

O tecido Conjuntivo difunde-se pelo corpo preenchendo os espaços entre todas as estruturas - recobre músculos, tendões, ossos, artérias, terminações nervosas, vísceras, etc... Formando assim uma única rede ao longo do corpo. E é essencial perceber que o tecido Conjuntivo é todo o mesmo, não há vários tecidos Conjuntivos. Quanto temos uma lesão num músculo, a lesão é localizada só nesse músculo, e poderá não afectar as outras centenas de músculos, que estarão a funcionar correctamente. Agora ao haver uma lesão no tecido Conjuntivo, em qualquer que seja a parte, nunca será uma lesão localizada, irá sempre ter repercussões por todo o corpo, uma vez que o mesmo tecido se espalha por todo o corpo.




Entre várias funções metabólicas, o tecido Conjuntivo tem a função de suportar todas as estruturas do corpo, mantendo-as unidas e nas suas posições. É apelidado por alguns autores como o 'órgão da estrutura', sendo o responsável pela execução de todos os movimentos do corpo, acabando por definir a nossa postura no espaço.

O tecido Conjuntivo tem um certo grau de elasticidade, mas quando essa elasticidade se perde, todo o tecido começa a ser repuxado, e com ele vêm todas as estruturas que lhe estão aderidas.

São vários os motivos que podem levar a que isso aconteça. Cada vez que há uma lesão em uma das estruturas cobertas pelo tecido Conjuntivo, o tecido Conjuntivo em volta vai ficar denso e perderá elasticidade, sendo as suas funções perturbadas. 
Da mesma maneira que quando há uma alteração nas funções metabólicas do Tecido Conjuntivo (por exemplo, devido a alguma alteração hormonal), vamos ter uma disfunção nas estruturas que lhe estão cobertas.

Exemplificando, quando o fígado está congestionado durante muito tempo, é comum a pessoa começar a sentir dor no ombro direito, e deve-se precisamente ao tecido Conjuntivo que foi perdendo a sua elasticidade e repuxou, causando tensão no ombro. Agora não é inteligente tratar apenas o ombro, é preciso também tratar o fígado e o tecido Conjuntivo.
Outro exemplo são as cicatrizes que também podem causar alterações no tecido Conjuntivo.

Uma técnica que uso para tratar o tecido Conjuntivo é a MTC - Massagem do Tecido Conjuntivo. Permite avaliar os locais onde o tecido Conjuntivo está denso, e qual a origem dessa alteração. Após a avaliação, procede-se ao desbloqueamento dessas zonas mais densas, devolvendo a elasticidade ao tecido Conjuntivo, e restaurando as suas funções.


Sem comentários:

Enviar um comentário